Carregando...

atbpa@atbpa.com.br

+55 (94) 99238-7039

Conheça a história da jovem Vitória Melgaço

Para ela o que marca numa prova é uma boa passada, independente dos resultados

 

 

A ATBPA apresenta hoje a história da jovem competidora, Vitória Fernanda Rodrigues Melgaço. Ela sempre esteve inserida no meio equestre e o que mais a deixa feliz é dar uma boa passada em pista!!

Confira a entrevista: 

 

Nome: Vitória Fernanda Rodrigues Melgaço

Natural de: Paragominas

Reside em: Paragominas

Treina:  CT Gilberto Sampaio, em Castanhal

Pai: Jacinto Melgaço Chaves

 

 

Como começou nos Três Tambores?

R: sempre estive inserida no meio e comecei por convite do Ninil, no parque de pgm.

Qual foi a primeira prova que participou?

R: Foi em Paragominas, em 2014, na 5ª etapa do Circuito Paraense

Quais provas participa atualmente?

R: Tento acompanhar o Campeonato todo, mas que sempre vou são as etapas de Paragominas, Castanhal e Acará são as sem falta.

Quais os principais títulos?

R: Pergunta difícil...rs. Acredito que as colocações não são o que mais me marca, acho que o que mais me deixa feliz é dar uma passada boa, consequentemente um tempo bom, como 17s774 no Acará, 17.871 e 17.909 em Jacundá. Mas de títulos, nunca vou esquecer do 2º lugar de 1D no tira teima em Paragominas, 1º lugar Principiante C, em Castanhal, 1º lugar Jovem C na 6ª etapa do Campeonato Paraense, entre outras.

Qual a prova que mais marcou para você?

R: O Haras São Francisco sempre marca muito, porque é uma prova onde todo mundo se junta e se diverte fazendo o que gosta.

Qual prova gostaria de participar?

R: Acredito que o Grand Prix Haras Raphaela, em São Paulo. É uma prova importante nos Três Tambores, e é a vontade de muita gente que ainda não participou.

Qual seu sonho como competidora?

R: Acho que o fato de correr, treinar, estar com pessoas que viraram minha família, ver meu cavalo com saúde e ver o nosso progresso diário já é a realização de um sonho!

Para você como é ser sócia da ATBPA?

R: É muito bom ver o esporte crescendo cada vez mais e tendo um alcance que não seria possível sem a ATBPA.

Mais notícias